sábado, 2 de março de 2013

FRATURA CLAVICULAR: CONHECENDO O PROBLEMA.


IntroduçãoA Clavícula é o osso da parte da frente do ombro. É fácil palpar esse osso e devido a sua localização superficial, um trauma nessa região pode quebrá-la. Esse osso protege vasos sanguíneos e o plexo Braquial e diversos músculos têm relação anatômica com a Clavícula.
A Fratura de Clavícula é uma causa de dor no ombro e representa, aproximadamente, 40% das frauras que ocorrem na cintura escapular.

A fratura de clavícula é uma das mais comuns no membro superior. Ocorre tanto em adultos jovens quanto crianças.

Anatomia:
A Clavícula é responsável por conectar o ombro ao tórax e serve como proteção de importantes estruturas como nervos e vasos, que raramente são lesionados nas fraturas de clavícula.

A clavícula é um osso em forma de “S”e normalmente sofre fraturas na região central.

Causas de fratura de clavícula :


Existem várias causas de uma fratura de clavícula. Em alguns casos, as pessoas caem com sua mão estendida, enquanto em outros incidentes que chegou ao fora de seu ombro. Em outro exemplo, uma pessoa pode ter uma clavícula fraturada e feridos por causa de um impacto direto sobre a clavícula. Em crianças e recém-nascidos, essas fraturas são normais, enquanto eles estão passando pelo canal do parto.



sintomas: A Fratura de Clavícula é uma causa de dor no ombro e representa, aproximadamente, 40% das frauras que ocorrem na cintura escapular.
O mecanismo mais comum para causar uma fratura de Clavícula é o trauma direto sobre o ombro, seja por um objeto ou após uma queda.
O paciente apresenta dor no ombro, edema local, deformidade, um hematoma localizado e impotência funcional.

diagnóstico: Em um paciente com Fratura de Clavícula, o exame neurológico é importante, pois pode ocorrer lesão do Plexo Braquial e, examinar a perfusão e pulsos distais também, já que vasos importantes passam próximo a Clavícula.
Normalmente, a radiografia simples é capaz de diagnosticar uma fratura de Clavícula, mas duas a três incidências devem ser solicitadas. Apenas em casos especiais a tomografia tem indicação (certas fraturas do terço lateral ou do terço medial).

tratamentos: 
A Clavícula é o osso da parte da frente do ombro. É fácil palpar esse osso e devido a sua localização superficial, um trauma nessa região pode quebrá-la. Esse osso protege vasos sanguíneos e o plexo Braquial e diversos músculos têm relação anatômica com a Clavícula.


A Fratura de Clavícula é uma causa de dor no ombro e representa, aproximadamente, 40% das frauras que ocorrem na cintura escapular.
O mecanismo mais comum para causar uma fratura de Clavícula é o trauma direto sobre o ombro, seja por um objeto ou após uma queda.
O paciente apresenta dor no ombro, edema local, deformidade, um hematoma localizado e impotência funcional.
Em um paciente com Fratura de Clavícula, o exame neurológico é importante, pois pode ocorrer lesão do Plexo Braquial e, examinar a perfusão e pulsos distais também, já que vasos importantes passam próximo a Clavícula.
Normalmente, a radiografia simples é capaz de diagnosticar uma fratura de Clavícula, mas duas a três incidências devem ser solicitadas. Apenas em casos especiais a tomografia tem indicação (certas fraturas do terço lateral ou do terço medial).
Os objetivos do tratamento são: a consolidação da fratura, mínima deformidade e retorno as suas atividades funcionais. Depende da idade do paciente, atividades do paciente, condições locais e gerais do paciente, localização da fratura e presença de lesões associadas.
O tratamento não cirúrgico é indicado quando há pouco desvio entre os fragmentos, isso é mais comum nas fraturas do  terço proximal  e terço médio e, em certos tipos de fraturas do terço lateral.
Quando é possível o tratamento conservador, prefiro a imobilização com a tipóia de lona, evitando que o paciente realize a elevação do braço até a consolidação da fratura. Permitimos ao paciente que ele realize flexo-extensão do cotovelo e rotação lateral passiva e ativa-assistida. Após a consolidação da fratura o paciente inicia fisioterapia para  ganho de amplitude de movimento e, posteriormente, fortalecimento da musculatura da cintura escapular.
Existem situações em que devemos indicar o tratamento cirúrgico, tais como: ombro flutuante, fratura exposta, desvios acentuados e algumas fraturas da porção lateral da clavícula.
A técnica cirúrgica depende da localização da fratura. Geralmente, as fraturas do terço médio da clavícula são tratadas com placa e parafusos e, se necessário, enxerto ósseo. Já as fraturas do terço lateral podem ser tratadas com dupla amarrilha de fios inabsorvíveis e estamos realizando realizando esse procedimento por artroscopia e a reabilitação segue o mesmo princípio do tratamento conservador.

prmeiros socorros:
COMO PROCEDER:
  • Mantenha a vítima em repouso.
  • Evite movimentar a região atingida.
  • Coloque um chumaço de algodão ou pano dobrado entre o braço lesado e o tórax (região axilar).
  • Fixe o braço de encontro ao tórax, usando duas faixas de pano.
  • Ampare o antebraço com uma tipóia (lenço triangular ou tira).
  • PROCURE UM MÉDICO.


sexta-feira, 28 de setembro de 2012

FRATURA CLAVICULAR: MINHA EXPERIÊNCIA.

EU E MINHA INFELIZ FRATURA CLAVICULAR
BOM. TUDO COMEÇOU HÁ OITO DIAS ATRÁS, QUANDO EM UM TREINO DE JUDO, UM COLEGA FEZ UM GOLPE EM MIM, PORÉM SE DESEQUILIBROU NO FINAL E ACABOU CAINDO EM CIMA DE MIM.  INFELIZMENTE, AO INVÉS DE CAI SOBRE MEU TÓRAX  TIVE O AZAR DE QUE O PESO DELE ACABOU SE CONCENTRANDO EM UM ÚNICO PONTO: MINHA CLAVÍCULA DIREITA!   ouvi um estalo e em seguida senti uma forte dor no ombro, náuseas e muita sede.  o meu sensei rapidamente me levou ao hospital, onde fui atendido, quando fui examinado pelo medico ele perguntou o que eu estava sentindo e eu respondi: dor, náuseas e muita sede, ele ao observar que eu suava muito disse: se sente nesta cadeira pois você ode desmaiar a qualquer momento.  então sentei e logo a náusea ,a sede e o suor desapareceram.. mas a dor continuava.  em seguida a enfermeira me aplicou uma injeção na bunda(doeu muito!) e me deu um comprimido. depois fui encaminhado pros exames de raio X, em seguida fiquei aguardando o diagnostico do medico.......meia hora depois ele me aparece e diz "é.... FRATURA CLAVICULAR

.....e devido á protuberância da ponta do osso na pele ,correndo o risco de rasga-la e virar fratura exposta...VAI TER QUE OPERAR. amanhã mesmo você venha aqui já em jejum para realizarmos a operação.  enquanto isso você usa esse pedaço de gaze pra sustentar o braço" .
Fiquei muito triste pelo fato de ter que cair no bisturi, mas fazer o que neh? se o medico falou... :(
fui levado de volta pra casa pelo sensei...tomei café e fui dormir... estava preocupado em como iria dormir pois eu durmo de bruços... mas felizmente, quando eu me deitei na famosa posição de "Drácula no caixão", de costas com as mãos sobre o tórax   dormi rapidamente e sem incomodo algum. acordei mas demorei pra me levantar com apenas um braço ...tomei meu café da manhã, tomei os remédios receitados pelo medico( nimesulida e fosfato de codeína) ,  um pouco + tarde tentei tomar banho, uma experiencia frustrante, já que além de você não poder mexer seu ombro afetado... todo movimento faz doer... inclusive quando você treme de frio ....é muito horrível... doí muito!!!    logo depois q saí do banho, + um desafio: se vestir !  
como era impossível  vestir uma camiseta normal tive que usar uma camisa social com botões na frente que cabia 2 de mim dentro. assim só precisei vestir o braço esquerdo que estava bom, o direito ficou por dentro da camisa.
em seguida almocei e fui levado ao hospital pela minha mãe.

chegando ao hospital outro médico, acho q um especialista, reavaliou meu ombro e pediu outra serie de raios X  e logo após analisar os mesmos,  diagnosticou que realmente era uma fratura clavicular, mas que felizmente eu não iria precisar fazer a cirurgia,  o tratamento seria o chamado TRATAMENTO CONSERVADOR, que consiste em apena imobilizar o braço afetado com uma tipoia do tipo "americana",  e depois de um mês voltar lá pra ele verificar o andamento da recuperação.



após isso voltei pra casa feliz por não ter sido mais grave e precisar da cirurgia..

com o passar dos dias não tenho sentido dor no local da fratura, apenas  quando mexo o braço ou em movimentos bruscos.

e no decorrer do dia  o "calombo" formado  pela fratura muda de aparência o tempo todo: ora saliente, ora compacto, ora com uma pontinha do osso apontando na pele..  .

estou preocupado pois não sei se isso é normal, se é um mau sinal ou se o osso não está consolidando corretamente.


mas tenho que ter paciência e fé em deus.

CRIEI ESSE BLOG PORQUE APÓS PESQUISAR SOBRE O ASSUNTO NA INTERNET, ACHEI MUITO POUCA INFORMAÇÃO!!  
MEU OBJETIVO É REUNIR INFORMAÇÕES SOBRE FRATURA CLAVICULAR E COMPARTILHAR EXPERIÊNCIAS COM OUTRAS PESSOAS QUE SOFREM OU JÁ SOFRERAM COM ESSE TIPO DE PROBLEMA.